segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Česká Republika

A idéia de conhecer o leste europeu só veio mesmo na terceira cidade: Praga.
Chegamos lá de avião e depois de uma imigração sem carimbo (eles não carimbam seu passaporte, dizendo que você entrou no país – pelo menos não fizeram isso com o meu, e eu ainda pedi, pois minha fase de ilegalidade já passou...), fomos pro albergue.
Pra entrar no ônibus com nossas mochilas de 15 kg, tivemos que comprar um bilhete a mais, de criança (1/2 do preço). Como sou cavalheiro, deixei minha criança ir sentada no banco e eu fui em pé mesmo.

Ficamos hospedados no Old Prague Hostel. Bom albergue e bem localizado, próximo a Old Town Square, que visitamos em seguida.
Essa praça (Old Town Square) é a grande praça central da cidade, onde rolam vários eventos e a turistada vive circulando por lá. Na ocasião, estava tendo um festival de música e uma bandinha local tocava um rock bem maneiro. Ficamos um tempo curtindo o som dos caras, mesmo sem entender absolutamente nada da letra (era em tcheco!).
O cansaço já batia, então fomos dar a tradicional morgada de fim de tarde pra ver a cidade a noite...

Segundo dicas de Bruno de Luca, fomos ver qual era do Double Trouble (um bar localizado num antigo abrigo de guerra subterrâneo). O barzinho é legal e bem estiloso. Bom pra trocar uma idéia, tomar uma cerva, dar uma curtida ou fazer um pré-night.

No dia seguinte (ou talvez no outro) fizemos o Free Walking Tour (do mesmo grupo do que fizemos em Londres). Esse tour é bem legal e longo. Dura umas três horas e dá dicas de outros lugares a serem visitados.
Visitamos também, entre outras atrações, a Charles Bridge (Karluv most), famosa ponte cortando o rio Vltava e o castelo de Praga (que é um belo complexo, com várias coisas menos um castelo!!!).

Demos nosso tradicional rolé “meio sem rumo”, tentando conhecer mais da vida cotidiana local e num dos restaurante em que comemos tinha o autógrafo da tcheca mais famosa, Silvia Saint!


O autógrafo da tcheca!



Dos museus, fomos no do Comunismo, com atrações interessantes, mostrando a vida por lá com o comando dos Russos. Curioso ver que os comunistas tratavam não comunistas da mesma forma que os militares do Brasil tratavam os acusados de serem comunistas...

Das atrações noturnas, conheci o Chapeu Rouge. Espécie de pub/boate com três andares (para baixo) muito frequentada por viajantes. E seguindo mais uma dica de Bruno de Luca, fui no Darlin Kabaret, que é uma “casa de tolerância” bem bacana, estilo cabaret mesmo, com vários shows. Eles te levam de limousine pra lá (mas não te trazem de volta!). O lugar é bom pra ver os shows e tomar uma cerva, mas pra “ver a tcheca” mais de perto, é meio caro...


Old Prague Hostel, nosso acampamento base!

Praça onde foi comemorada a queda do muro de Berlim em 89.

Teatro municipal.

Idioma difícil...

A beira do Rio Vltava, com o castelo ao fundo.

Karluv most (Ponte Carlos).

Vista da cidade.

Museu do comunismo

3 comentários:

  1. Daniel viajandão! Só falta conhecer um lugar com gente de olhos puxados.

    ResponderExcluir
  2. Mto show o blog e o relato!!! Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Me amarrei na arquitetura.
    E o autógrafo da Silvinha? Bem ao lado de uma vaca. Essa Silvinha tchetcheca e uma brincalhona mesmo!

    ResponderExcluir